porto

Desde finais do séc. XIII, mais concretamente no Cancioneiro da Ajuda (1280), que se encontram representadas em várias iluminuras, violas de mão tocadas por jograis, instrumentos que prefiguram a forma essencial da vihuela ou viola quinhentista, cuja essência está na origem da viola actual. Herdeira da vihuela é a a Braguesa ou Viola de Braga, instrumento popular do Noroeste português. Em Aveleda, Braga, foram recolhidas por Ernesto Veiga de Oliveira, junto do violeiro Domingos Machado, duas afinações: Mouraria Velha, do agudo para o grave, SOL3 MI3 SI3 LA2 MI2, e Moda Velha, do agudo para o grave, LA3 FA#3 SI3SOl2 RE2. Esta tem a particularidade da 3ª ordem de cordas (SI3) ser a mais aguda, o que lhe dá uma sonoridade muito própria. Julga-se ser a afinação mais antiga da Viola Braguesa. Nas fotografias, Viola Braguesa, fabrico Artimúsica Instrumentos Musicais Lda Disponível em Casa da Guitarra +info em geral@casadaguitarra.pt, facebook e instagram.

Maio
13
2020

Desde finais do séc. XIII, mais concretamente no Cancioneiro da Ajuda (1280), que se encontram representadas em várias iluminuras, violas de mão tocadas por jograis, instrumentos que prefiguram a forma essencial da vihuela ou viola quinhentista, cuja essência está na origem da viola actual.

Herdeira da vihuela é a a Braguesa ou Viola de Braga, instrumento popular do Noroeste português. Em Aveleda, Braga, foram recolhidas por Ernesto Veiga de Oliveira, junto do violeiro Domingos Machado, duas afinações: Mouraria Velha, do agudo para o grave, SOL3 MI3 SI3 LA2 MI2, e Moda Velha, do agudo para o grave, LA3 FA#3 SI3SOl2 RE2. Esta tem a particularidade da 3ª ordem de cordas (SI3) ser a mais aguda, o que lhe dá uma sonoridade muito própria. Julga-se ser a afinação mais antiga da Viola Braguesa.

Nas fotografias, Viola Braguesa, fabrico Artimúsica Instrumentos Musicais Lda
Disponível em Casa da Guitarra
+info em geral@casadaguitarra.pt, facebook e instagram.


Continuar
Também chamada de Bandurra ou Viola de Castelo branco, eis a Viola Beiroa, cordofone da região da Beira Baixa, pertencente à família das violas de Arame portuguesas. A actual afinação, definida pelo mestre Alísio Saraiva, convencionou-se em MI RÉ LÁ MI SI + RÉ (requintas). Pormenor do cravelhal das requintas, exclusivo da Viola Beiroa entre as Violas de Arame portuguesas. As requintas são duas cordas agudas e curtas, que não são pisadas, sendo tocadas quase sempre soltas. Fonte: Viola Beiroa, Método, Edição INATEL Viola Beiroa, construtor Artimúsica. Disponível na Casa da Guitarra. Mais informações em geral@casadaguitarra. pt

Abril
21
2020

Também chamada de Bandurra ou Viola de Castelo branco, eis a Viola Beiroa, cordofone da região da Beira Baixa, pertencente à família das violas de Arame portuguesas. A actual afinação, definida pelo mestre Alísio Saraiva, convencionou-se em MI RÉ LÁ MI SI + RÉ (requintas).

Pormenor do cravelhal das requintas, exclusivo da Viola Beiroa entre as Violas de Arame portuguesas. As requintas são duas cordas agudas e curtas, que não são pisadas, sendo tocadas quase sempre soltas.

Fonte: Viola Beiroa, Método, Edição INATEL

Viola Beiroa, construtor Artimúsica.

Disponível na Casa da Guitarra.

Mais informações em geral@casadaguitarra. pt


Continuar