Cavaquinho Cabo Verde

Cavaquinho Cabo Verde Casa da Guitarra Porto


Em 𝘖𝘴 𝘪𝘯𝘴𝘵𝘳𝘶𝘮𝘦𝘯𝘵𝘰𝘴 𝘮𝘶𝘴𝘪𝘤𝘢𝘪𝘴 𝘦𝘮 𝘊𝘢𝘣𝘰 𝘝𝘦𝘳𝘥𝘦 , Margarida Brito aponta a presença do cavaquinho nas ilhas já no início do século XX. O compositor B.Léza (Francisco Xavier da Cruz, 1905-1958), num texto da sua autoria com data de 1931, inserido no seu livro 𝘜𝘮𝘢 𝘱𝘢𝘳𝘵í𝘤𝘶𝘭𝘢 𝘥𝘢 𝘭𝘪𝘳𝘢 𝘤𝘢𝘣𝘰𝘷𝘦𝘳𝘥𝘦𝘢𝘯𝘢 , descreve uma noite de serenata na cidade da Praia: “Algum passante que acaso vagueava por esses lados a essa hora tardia da noite, contaria na segunda fila: dois violinos, quatro violões, um cavaquinho e um bandolim”.
O instrumento terá chegado ao arquipélago tanto a partir de Portugal como do Brasil. Pela sua posição geográfica, Cabo Verde foi sempre um importante entreposto comercial, contribuindo cada passagem para a grande mistura de técnicas, melodias, temas e ritmos que se ouvem nas diferentes ilhas. O cavaquinho cabo-verdiano acompanha a música deste país africano, actuando em mornas, coladeras, funanás ou marzucas.
De formato maior que o cavaquinho português, apresenta tradicionalmente dezasseis trastes e escala em ressalto. A caixa de ressonância maior e mais profunda convoca o som mais quente deste tetracórdio. Tal como o homónimo brasileiro, afina geralmente em Ré Si Sol Ré.