July
9
2021

Sorry, this entry is only available in European Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

 FADO: DAS ORIGENS AO PORTO

     Das Origens

As origens do Fado poderão encontrar-se  nos bairros populares da  Lisboa do início do séc. XIX. Nas ruas e vielas, nas tabernas ou casas de meia-porta, a lírica fadista evocava de forma desassombrada o quotidiano da cidade; desta forma, encontrava-se, numa primeira fase, associada a contextos sociais pautados pela marginalidade, frequentados por prostitutas, “chulos” e “vadios”, marujos ou marialvas. É desta esfera mais marginal da sociedade que surge o primeiro ícone do Fado , Maria Severa Onofriana, a Severa, que cantava, tocava e dançava na Mouraria e Bairro Alto, cumprindo o circuito da prostituição.

Esta forma de arte, nascida nos contextos mais modestos da Lisboa oitocentista, assume hoje um estatuto inestimável na cultura portuguesa, o que a coloca consensualmente na primeira linha da Música Popular Urbana do país. É alvo de atenção da indústria discográfica, integra os circuitos dos festejos populares (juntamente com estilos mais contemporâneos) e goza do aparecimento progressivo de uma nova geração de intérpretes. Desde 2011, que está inscrita na Lista Representativa do Património Cultural e Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

     O Fado e a  Guitarra Portuguesa

Tradicionalmente, o Fado celebra-se com voz, feminina ou masculina, acompanhada pela Viola de Fado, o Baixo Acústico e a Guitarra Portuguesa. Este particular cordofone é periforme e apresenta seis ordens de cordas duplas metálicas. A Guitarra, ou Cítara Portuguesa (Pedro Caldeira Cabral), será uma evolução da Guitarra Inglesa, instrumento de grande divulgação nos salões europeus no séc XVIII. É conhecida primeiro no Porto, devido, talvez, à comunidade inglesa residente na cidade nortenha. Outrora protagonista nos salões burgueses, nas décadas de 1820 e 1830, passa a sobreviver somente nos meios proletários de Lisboa. Terá sido assim que se dá o primeiro encontro desta Guitarra Portuguesa com o Fado, canção que identifica na guitarra a expressividade ideal para evocar as tragédias, os episódios de vida pitorescos, as cenas do quotidiano, os amores e desamores cantados na lírica fadista.

Fontes: Pedro Caldeira Cabral | Rui Vieira Nery

     Fado por Casa da Guitarra

A Casa da Guitarra apresenta um espetáculo de fado tradicional, no centro histórico do Porto com a Ponte Luís I e a Sé Catedral do Porto como ilustres vizinhos. Durante cerca de uma hora, as nossas fadistas, na companhia da Guitarra Portuguesa e da Viola de Fado, celebram o Fado, os seus intérpretes, autores e poetas. No intervalo, é servido um Vinho do Porto Reserva, num encontro com a cultura portuguesa e com alguns dos seus valores mais especiais – o Fado, a Guitarra Portuguesa e o Vinho do Porto.

+ info 

Reservas