Rajão

De entre todos os instrumentos utilizados no folclore madeirense, o Rajão será, provavelmente, o mais genuinamente regional na sua origem e, certamente, aquele que apresenta características mais arcaicas passíveis de serem associadas historicamente à região, que remontam o século XVII. Executado em "ponteado" ou com o vulgarmente designado “tocar de rasgado”, trata‐se de um instrumento que é utilizado sobretudo como acompanhador do canto e da dança no folclore da região. O Rajão, arma com cinco cordas simples, do agudo para o grave Lá Mi Dó Sol Ré mas, divergindo das violas de mão, caracteriza‐se por ter a terceira corda (Dó) como sendo a mais grave contrariamente aos outros instrumentos em que a quinta costuma ser a mais grave.


De entre todos os instrumentos utilizados no folclore madeirense, o Rajão será, provavelmente, o mais genuinamente regional na sua origem e, certamente, aquele que apresenta características mais arcaicas passíveis de serem associadas historicamente à região, que remontam o século XVII. Executado em “ponteado” ou com o vulgarmente designado “tocar de rasgado”, trata‐se de um instrumento que é utilizado sobretudo como acompanhador do canto e da dança no folclore da região. O Rajão, arma com cinco cordas simples, do agudo para o grave Lá Mi Dó Sol Ré mas, divergindo das violas de mão, caracteriza‐se por ter a terceira corda (Dó) como sendo a mais grave contrariamente aos outros instrumentos em que a quinta costuma ser a mais grave.